Papo Carregado com Nankhova Alves

O Carrega by Ac convidou para bater um papo carregado connosco um jovem talentoso da moda angolana, que já uns anos vem dando o seu contributo para o país com a expansão da sua marca Eclat Manzvat. O papo de hoje será com Nankhova Alves 😀

Dito isso, vamos carregar …

Com certeza uma fonte de inspiração para os jovens angolanos e ao longo do papo vocês notarão isso. A ideia dele é inovar, trabalhando muito, criando muito para ajudar a moda angolana a alcançar os palcos internacionais. Com um estilo próprio e super inovador é também uma fonte de inspiração para os amantes da arte do bem vestir. Espero que gostem do papo …

“A força de vontade e o empenho falam mais alto, o limite é o céu, e o tempo diz quem é capacitado para estar onde deve estar”.

Nankhova Alves

10717790_4707860950976_615846524_n
O blog está ligado a moda e por essa a razão o Nankhova foi escolhida para bater um PAPO CARREGADO connosco. Diga – nos qual é a sua ligação com a moda?
Nankhova: Formei-me em moda no Rio de Janeiro, pela instituição Senac rio, e amo criar, então a ligação já vem antes da formação! Sou um criador e não um empresário.

CBA: Para que as pessoas conheçam um pouco da sua marca, descreva resumidamente, o que é a ___Manzvat_____ afinal de contas?
Nankhova: Manzvat é a marca no qual sou o fundador, e hoje trabalho como Director criativo juntamente com outros rapazes e meninas, formamos a marca MANZVAT. E caminha para ser uma das grandes marcas dentro de angola e o mundo, trazer o simples que é chique, não a simplicidade sem naturalidade, por isso a MANZVAT é feita e pensada na alma de todos os nossos clientes.

CBA: Qual a sua maior qualidade?
Nankhova: Minha posso dizer que sou bem ligado aos meus é aquilo que quero então a minha maior qualidade é ser exactamente Eu.

CBA: E o seu maior defeito?
Nankhova: Querer que tudo seja perfeito e do jeito que eu quero, um defeito a querer ser corrigido.

CBA: É bom de garfo? Gosta de cozinhar?
Nankhova:(RISOS) adoro uma boa culinária, sou fã de arte e para mim cozinhar é uma arte pena não saber cozinhar e não posso saber tudo e já dizem que faço tudo.

CBA: O que é que o Nankhova mais gosta e o que mais detesta?
Nankhova: O que mais gosto moda. Detestar não tenho algo convicto, mas não gosto de confusão.

CBA: O que é que o carregado não faria por nada?
Nankhova: Ser um puxador de rótulos ( sacos ) ou difamar alguém.

CBA: O que é que mais gostaria de fazer para além do que faz na moda?
Nankhova: Informática ( redes de computadores ) para ser mais directo é o que adoro depois da moda acho que faria isso sem pensar muito.

CBA: Porquê moda e não outra coisa? Porque a moda?
Nankhova: Boa pergunta, a moda foi o que preferi, deixei de lado o curso de redes de computadores para seguir aquilo que é o sonho e penso em realizar cada vez mais, por isso optei por isso, algo que muito difícil jovens angolanos irem pelo gosto ou pelo sonho. Mais ai esta eu e estou a tentar e tentar alcançar o sonho.

CBA: Como o Nankhova descreveria a moda internacional e a angolana actualmente?
Nankhova: A moda nacional creio que ela encontra-se numa fase de transição e desenvolvimento no qual a mesma está a valorizar a direccionar e muito bem focando valorizando a nossa cultura e o nossos antecedentes , quanto a internacional está virada para o modernismo e com perspectivas bastante inovadoras.

CBA: Cite 3 nomes da moda angolana que admira o trabalho que fazem.
Nankhova: Não citando nomes concretamente posso referir que tanto como a Manzvat creio que são todas que estão a fazer transparecer um conceito de evolução não esquecendo nunca a ideia de demonstrar a inovação juntamente com a nossa cultura.

CBA: Considera – se um fashionista?
Nankhova: Sinceramente eu não diria fashionista porque esse termo incorpora o facto de se estar a seguir a risca TODAS tendências que vão surgindo actualizadamente no mundo da moda internacional. Eu pessoalmente estou a par da moda nacional/internacional mas prefiro o meu estilo próprio não esquecendo as tendências actuais.

CBA: Considera – se famoso?
Nankhova: Não. Prefiro que a marca no qual trabalho seja reconhecida. E divulgada.

CBA: Quais são as suas inspirações internacionais e angolanas?
Nankhova: A nível de inspiração eu creio que é algo subjectivo vai alterando de época em época consoante o evento/coleção mas se tivesse de definir seria em apenas uma palavra, inovação.

CBA: Tem algum sonho com relação a moda, que gostaria muito de realiza – lo?
Nankhova: Que me vem a mente de primeira, creio que seria elevar e levar o nome da Manzvat como marca nacional para outros grandes palcos internacionais com o devido reconhecimento, tudo com intuito de expandir e demonstrar que nós também somos um país a ter em conta a nível da moda.

CBA: Normalmente as pessoas tendem a desistir muito fácil, qual é o seu segredo para manter o foco?
Nankhova: É um facto, mas para mim a força de vontade e o empenho falam Mais alto, o limite é o céu, e o tempo diz quem é capacitado para estar onde deve estar.

10719093_4707861630993_1419969590_n

CBA: Como define o seu estilo?
Nankhova: Básico (RISOS), brincando, tenho o estilo predominado, 2 coadjuvante. Não passo de 3 estilos.

CBA: O que pensa na hora de se vestir?
Nankhova: Eu não penso, apenas tento saber o lugar que vou. E nunca tenho medo de perguntar qual é o dress code? Perguntar nunca é de mais.

CBA: Qual é o seu critério na hora de comprar alguma roupa ou calçado ou acessório ?
Nankhova: Eu deixo-me levar pelo meu estilo próprio, comprar é bom e comprar coisas boas e que iras consumir melhor ainda.

CBA: Defina o seu closet .
Nankhova: Apropriado para mim.

CBA: Qual a maior loucura fashion que já fez?
Nankhova: (RISOS) Faço sempre, aconteceu no Angola Fashion Week, onde os fotógrafos diziam que não podiam publicar a foto da roupa que escolho, que era uma máscara de rede e a t-shirt condizendo com a máscara.

CBA: Marcas, o que significam na sua vida?
Nankhova: Marcas são marcas, mas novas marcas tornam-se marcas quando gostamos da peça do seu criador, tudo é marca, apenas cada uma tem um conceito diferente.

CBA: Que cores mais gosta de usar?
Nankhova: (RISOS)preto, branco, cinza, e agora creme.

CBA: Prefere estações frias ou quentes? Porquê?
Nankhova: Adoro frio, acho que as pessoas no tempo de frio vestem-se melhor, não que o verão não sirva de inspiração, cada momento ou cada estação inspira pessoas que gostam de poder usar de tudo um pouco. Mas o frio para mim é o melhor.

CBA: Qual o seu acessório preferido?
Nankhova: Uso todo de tipo de acessório, isso varia de como vai o meu momento. Posso não usar acessório por 2 meses e depois usar em 3 meses, isso varia. É algo pessoal é complicado.

CBA: O que é que não pode faltar na sua bolsa?
Nankhova: Minha pen drive, meu cabo usb e pelo menos 2000 AKz.

10717475_4707934552816_2122202201_n

CBA: O que é que não pode faltar no seu closet?
Nankhova: Um bom ténis. Adoro ténis.

CBA: Qual é o seu sonho de consumo?
Nankhova: Adoro consumir mas consumo são coisas, consumo são coisas matérias. O meu sonho de consumo é estar a conversar contigo em qualquer lugar, estar em casa com os meus amigos, curtir as praias, e no fim da tarde tomar um drink, Isso é sonho de consumo para mim.

CBA: O que acha dos blogs de moda angolanos?
Nankhova: Sinceramente não tenho conhecimento de blogs angolanos já vi alguns mas a ideia que tenho é que eles são uma boa ferramenta e bom meio de divulgação da situação da moda nacional e internacional.

CBA: O que mais detesta na moda?
Nankhova: Creio não tem assim nenhum aspecto que me faça detestar realmente a moda, a moda como todas outras áreas tem aspectos negativos mas não são suficientes para detesta-lá.

CBA: O que mais gosta na moda?
Nankhova: O que mais gosto é o facto de cada designer ou marca inovar e seguir o seu rumo de acordo com o seu conceito dando a sociedade em que está inteirado as suas ideologias em modo de vestuário.

CBA: Quais os seus estilistas favoritos ?
Nankhova: Não mencionando nomes digo que os favoritos são todos que prezam por usar a moda como uma ferramenta artística para abrir as “mentes fechadas” e não apenas no lado comercial.

CBA: Qual é a sua marca favorita?
Nankhova: MANZVAT.

10721293_4707858350911_176779641_n

CBA: Algum conselho para as pessoas que vão ler esse papo?
Nankhova: Inicialmente, o conselho é que usem Manzvat não pela publicidade mas pelo facto da Manzvat ser para nós angolanos, especialmente para os que têm uma mentalidade futurista e patriótica. Quero também agradecer o convite e dizer que este blog tanto como os outros continuem com esse movimento e direcção porque é uma mais valia para nós angolanos.

CBA: Então alguma sugestão ou alguma recomendação para o Carrega by Ac?
Nankhova: Que continue a carregar bons papos com bons criadores não importa o nome mais sim a qualidade de seu trabalho. Todos somos criadores.

Eu (Acelga Esteves) também amei bater um papo consigo e acredito que as pessoas vão gostar da entrevista, desejo que todos seus objectivos sejam concretizados, você merece. Mais uma vez obrigado 😀

É nacional, é bom é o Carrega by Ac.

Carrega gente … não custa nada

XOXO

2 thoughts on “Papo Carregado com Nankhova Alves

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s